Auxílio Emergencial em Análise: O Que Significa? Como Proceder?

Auxílio Emergencial em Análise: O Que Significa? Como Proceder?

O status auxílio emergencial em análise significa que o Governo ainda não verificou as informações do solicitante para saber se a solicitação será deferida ou não.

Neste ano, a crise que assolou o mundo todo teve consequências diversas, além do campo da saúde e de tantas vidas prejudicadas, o campo da economia sentiu o impacto e muitas pessoas tiveram sua renda comprometida.

Uma forma que o Governo encontrou de driblar essa situação, foi conceder um auxílio emergencial aos requerentes que se enquadrassem nos critérios apresentados. Desse modo, os cidadãos recebem a ajuda financeira para se manter e o comércio local também é beneficiado com a economia girando.

No entanto, quando o cidadão efetua o requerimento, antes do pedido ser aprovado ou não, o status da solicitação consta como auxílio emergencial em análise.

PUBLICIDADE

Afinal, o que isso significa? Como proceder depois disso? Essas dúvidas ainda são muito comuns, já que se trata de algo ainda muito recente, mas neste artigo iremos tirar suas dúvidas. Continue lendo e saiba mais.

 

O Que Significa Auxílio Emergencial em Análise?

Depois de efetuar a solicitação do benefício concedido pelo governo às pessoas que foram afetadas economicamente pela crise que se instaurou, aparecerá a mensagem: auxílio emergencial em análise.

Isso quer dizer que o governo está cruzando as informações com a Receita Federal, com o Dataprev e demais órgãos para verificar se o solicitante está de acordo com os critérios exigidos para a concessão do benefício.

 

Quem Tem Direito ao Auxílio Emergencial?

A princípio, para que o auxílio emergencial em análise seja aprovado, é necessário que o requerente não tenha emprego formal, ou seja, de carteira assinada, pois as parcelas têm como objetivo atenuar os impactos financeiros de que teve sua renda comprometida neste período.

PUBLICIDADE

Desse modo, os requisitos que tornam uma pessoa apta a solicitar o auxílio emergencial são:

  • Não ter emprego formal – com carteira assinada;
  • Ter idade igual ou superior a 18 anos, com exceção de mães adolescentes;
  • Ter renda mensal familiar de até R$3.135 reais;
  • Ter renda mensal per capita, ou seja, por pessoa, de até R$522,50, que é o valor correspondente a meio salário mínimo;
  • Não ter tido rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano de 2018;
  • Não estar recebendo outros benefícios previdenciários ou oriundos de programas sociais, como seguro-desemprego, aposentadoria ou benefício da prestação continuada, com exceção do bolsa família.

Vale lembrar, ainda, que o recebimento do auxílio emergencial é limitado a dois integrantes da família.

 

Auxílio Emergencial em Análise: Como Proceder?

Se você já deu entrada no benefício e frequentemente se depara com o auxílio emergencial em análise, infelizmente não nenhuma medida que possa ser tomada para acelerar o processo. No entanto, você pode continuar consultando o benefício para verificar a atualização do status.

Após a aprovação, o valor será creditado na poupança que é aberta em nome dos requerentes que têm seus pedidos deferidos. Desse modo, basta que você aguarde a liberação do calendário de pagamento e confira no aplicativo Caixa Tem se o valor foi liberado.

PUBLICIDADE

Nesse aplicativo, você terá a opção de fazer pagamento de boletos pelo código de barras, gerar código para saque, transferir em outra conta bancária ou gerar número de cartão para compras pela internet ou diretamente na maquininha.

Por outro lado, se o pedido for negado, o Dataprev disponibilizou um site para contestar essa decisão.

Neste site a contestação poderá ser feita em poucos minutos e sua solicitação será reavaliada.

O Governo vem justificando o fato do auxílio emergencial em análise estar demorando para ser deferido, em muitos casos, devido à grande quantidade de solicitação que recebeu, já que muitas pessoas foram afetadas pela crise.

PUBLICIDADE

No entanto, a contestação por meio do Dataprev só estará disponível para os seguintes casos:

  • Pessoas que perderam o emprego e não têm direito a seguro desemprego;
  • Servidor público militar que não tenha mais vínculo;
  • Pessoas que eram menores de idade quanto efetuaram o pedido e, nesse período, atingiram a maioridade.

Deixe uma resposta