Novo auxílio emergencial de R$200,00: A proposta do governo já está pronta

Novo auxílio emergencial de R$200,00: A proposta do governo já está pronta

Embora negue, o governo já tem um plano guardado para um novo auxílio emergencial de R$200,00, para o caso de ser inevitável retomar o benefício.  



Como será o novo auxílio emergencial de R$200,00

Segundo divulgado no Valor Investe, a proposta do governo é pagar três parcelas de um valor menor que as prestações anteriores.

Estima-se que o novo valor seja de R$200,00, ou seja, um valor muito próximo ao valor médio pago pelo Bolsa Família atualmente, que é de R$190,00

Os critérios para ser elegível para receber o novo benefício também deverão ser bem mais restritos que os atuais, limitando significativamente a quantidade de pessoas que terão direito à extensão do auxílio, .

Lembrando que, em um primeiro momento, o auxílio emergencial ao pagar 5 parcelas de R$ 600,00 beneficiou mais de 68 milhões de brasileiros. A fase dois, ou seja, a extensão do auxílio já reduziu o valor do benefício para R$ 300,00 e atingiu um público menor, saindo de 68 para 56 milhões de pessoas.

Nesta que será a etapa 3, caso aprovada, o valor seria ainda menor, ou seja, o novo auxílio emergencial de R$200,00 será direcionado a um público bem mais restrito. A ideia desta extensão é que o auxílio seja voltado para população mais vulnerável, os mais mais necessitados entre os informais.

Com as mudanças, o impacto fiscal da medida seria minimizado, já que com a redução o custo do auxílio ficaria entre R$ 7 e R$ 10 milhões de reais por mês.



Novo auxílio emergencial de R$200,00: O que disse Paulo Guedes sobre o assunto

Na última terça-feira, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a cogitar uma possível volta do auxílio emergencial, enquanto discursava na Conferência de Investimentos da América Latina.

Mas, ele impôs condições para que isso venha a acontecer. Em sua fala, Guedes disse que o auxílio emergencial só poderia retornar caso fosse desatrelado do orçamento o aumento automático dos recursos para a educação, para a segurança e para o aumento do salário dos servidores públicos. 

Em outras palavras, para ter auxílio emergencial de volta, que seria esse novo auxílio emergencial de R$ 200,00, será preciso travar o aumento de outros gastos no orçamento.

Já Rodrigo Maia disse à coluna de Chico Alves, no UOL, que discorda do posicionamento do Ministro da Economia. Para o Presidente da Câmara dos Deputados: “O que precisa é aprovar a PEC Emergencial. Estamos esperando o Senado, combinado com o Paulo Guedes, votar esse tema desde de 5 dezembro de 2019”.

De acordo com o Deputado Rodrigo Maia, a aprovação da PEC Emergencial permitiria que os gastos fossem limitados e assim, sobrariam recursos para um novo auxílio.

A previsão da votação da PEC Emergencial, cujo relator é o senador Márcio Bittar, é no próximo mês.

Quem também falou sobre auxílio emergencial foi o vice-presidente da república, Hamilton Mourão.

Ele disse que era favorável à extensão do auxílio emergencial, desde que aja um corte de despesas no orçamento.

Veja o que disse Mourão durante entrevista à Rádio Bandeirantes: “Para que se estenda esse auxílio emergencial, determinados gastos terão que ser cortados. Sou a favor da extensão do auxílio emergencial, desde que não seja algo que vá criar uma dívida ainda mais impagável para o Brasil.”



Novo auxílio emergencial de R$200,00: Quais as condições

Como vocês podem observar, a volta do novo auxílio emergencial de R$200,00 está condicionada a três pontos fundamentais:

  • valor menor do benefício, ou seja, não chegará a R$ 300,00 e muito menos aos R$ 600,00 pagos nas 5 primeiras parcelas
  • a quantidade de pessoas beneficiadas também será menor. Isso implica dizer que nem todo mundo que recebeu o auxílio será contemplado na nova etapa, apesar de não sabermos ainda quais serão as novas regras que tornarão os brasileiros elegíveis
  • e, finalmente, tudo isso só vai acontecer se houver corte de gastos em outras áreas. Vai ter que tirar dinheiro de algum lugar, para sobrar para essas novas parcelas do auxílio emergencial.



Deixe uma resposta