Bolsa família: Saiba como se cadastrar e aprenda a monitorar seu cadastro

Com certeza você conhece alguma família que conte com o auxílio financeiro do bolsa família para complementar um pouco da renda no final do mês.

Esse benefício criado pelo governo é de muita ajuda para os cidadãos que vivem em situação de pobreza ao redor do país inteiro.

Infelizmente, essa é a realidade de muitos. Poucos recursos para se manter, mesmo que apenas com o básico para uma vida confortável.



A situação de muitas dessas famílias se tornou ainda mais precária com as taxas de desemprego crescendo deliberadamente nesses últimos anos, como testemunhamos de perto.

O bolsa família, apesar de nem de longe ser um valor suficiente para garantir que a qualidade de vida dos beneficiados suba de patamar, ajuda bastante nos momentos de complicação financeira.

Muitas mães solteiras contam com essa quantia mensal para conseguir arcar com o material escolar, roupas, ou para pagar atividades de lazer dos filhos, por exemplo.

E apesar de esse ser um recurso que já vem sendo distribuído para os cidadãos há muito tempo, muitos ainda não tem noção de como fazer para ter acesso a ele.



Se você está entre esses que não possuem a mínima experiência em lidar com cadastros nessas políticas sociais do governo, apenas continue lendo esse artigo.

Nos próximos parágrafos, ensinaremos exatamente como descobrir se você tem acesso ao benefício e como fazer o cadastro necessário para recebê-lo.

Você também aprenderá a fazer o download do aplicativo do governo federal voltado para esse programa e a usar as ferramentas presentes nele.



Quando terminar de ler, estaremos certos que todas as suas dúvidas estarão sanadas. Então pegue papel e caneta e anote aquelas informações que você achar mais importantes.

E preste bastante atenção, para não deixar passar nenhuma dica importante. Vamos lá?!

Antes de tudo: o que é o bolsa família, afinal?

O bolsa família é um programa social criado pelo governo federal no ano de 2004 que visa auxiliar financeiramente famílias carentes do país inteiro.



Um valor mensal fixo é disponibilizado para retirada todo mês, a partir do momento em que o cadastro é realizado por um membro responsável pela família.

De acordo com a lei, tem direito ao benefício:

  • Famílias que vivem abaixo da linha da pobreza, cuja renda por pessoa não ultrapassa os R$85,00.
  • Famílias cuja renda varia entre R$85,00 e R$170,00 por pessoa, desde que por lá hajam crianças ou adolescentes com idade de até 17 anos.

Como fazer o cadastro?

Ao contrário do que muitos pensam, simplesmente se cadastrar não garante que o benefício será fornecido a você.



Tudo funciona por etapas e o recurso é aprovado ou não dependendo dos dados fornecidos -onde, antes de qualquer outra coisa, a sua condição de vida é considerada.

Lembrando: esse programa visa ajudar prioritariamente as famílias que vivem em situação de pobreza, por isso, é necessário que haja uma seleção.

Para saber se você faz parte do grupo que tem direito a receber esse dinheiro, antes de tudo, é preciso se inscrever no Cadastro Único.



O Cadastro Único é outro programa criado pelo governo que visa coletar dados de cada cidadão e, então, distribuir os recursos dessas políticas sociais de forma justa e necessária.

É através dele que se decide em quais benefícios você está incluído.

Para que esse cadastro seja feito, muitas equipes do governo municipal fazem visitas domiciliares para coletar dados.

Mas, caso essa não seja a situação na cidade onde você vive, pode também procurar a central do CRAS mais próxima, fornecer as informações necessárias e, de quebra, tirar suas dúvidas.



Se sua família se encaixar no perfil financeiro exigido pelo bolsa família, então estará automaticamente inscrita no programa.

Um cartão para saque do benefício é disponibilizado, emitido pela CAIXA e entregue através dos correios após um prazo pré-determinado.

Junto a ele, alguns panfletos explicativos (sobre como funciona o sistema e como ativar esse cartão, para utilizá-lo sem problemas, as datas em que o valor fica disponível para saque, e etc).



Também é fornecida a senha que o responsável da família precisará para sacar o dinheiro mensalmente.

Como acessar suas informações?

Para consultar as atualizações do benefício, você pode acessar aqui através de qualquer dispositivo que possua conexão com a internet.

Quando essa página acima for exibida, selecione ‘acessar minha conta’, em destaque no canto superior direito, e forneça os seus dados de acesso.



Ou, caso prefira algo mais prático, você também pode fazer o download do app desse programa social facilmente, através da loja de aplicativos do seu celular.

Ele está disponível para os sistemas operacionais Android, IOS e Windows Phone.

Nos celulares Android, por exemplo, você só precisa pesquisar por ‘Meu Bolsa Família’ na Play Store. Ele aparecerá exibido assim:

Selecione instalar, destacado em verde na tela, e espere o aplicativo ser baixado no seu dispositivo. O tempo de espera depende da qualidade da sua conexão com a internet.

Lá, você também terá acesso a todas as informações e poderá tirar todas as suas dúvidas mais frequentes:

Você pode selecionar o que deseja saber ou fazer logo na tela inicial.



E se desejar ter acesso a dados mais precisos sobre o seu cadastro, basta selecionar essa opção laranja em destaque e fornecer algumas informações de acesso.

Como você vai perceber, tanto através do portal quanto do aplicativo, é possível monitorar constantemente a situação do seu cadastro e estar sempre por dentro de possíveis alterações.

Conclusão:

O bolsa família, em muitos casos, é a principal renda de muitas famílias em situação de pobreza extrema.

Está aí a importância de se sustentar e aprimorar esse programa cada vez mais: auxiliar aquelas pessoas que não encontram meios de conseguir o próprio sustento.



O que, infelizmente, é uma realidade muito comum em diversas regiões carentes e periféricas do Brasil. A quantidade de famílias carentes é incalculável.

A medida em que o desemprego atinge uma faixa cada vez maior de pessoas, percebe-se como esse auxílio é importante nos momentos financeiros mais preocupantes.

Apesar de o valor não ser suficiente para sustentar nenhuma regalia supérflua, é o suficiente para garantir pelo menos o básico até que a situação volte a entrar nos trilhos.



Quando as finanças apertam e as contas começam a surgir de todos os cantos, o dinheiro fornecido pelo benefício pode ser um conforto e tanto.

Portanto, se você se encaixa no grupo que tem direito a receber esse recurso e ainda não procurou se informar corretamente, não hesite mais a fazer isso.

Trata-se de um dinheiro que é seu por direito e não há porque não o reivindicar. Quem não gostaria de contar com uma renda extra no final do mês, afinal?



Seguindo essas dicas que trouxemos, você saberá exatamente como saber se o perfil da sua família se encaixa no perfil social da sua família e, se sim, como fazer parte desse programa.

Aprenderá também a ter total acesso digital a todos os detalhes do seu benefício sem precisar se deslocar até uma central do CRAS sempre que tiver dúvidas recorrentes.

Em tempos de crise, de taxas tão altas de desemprego, fazer bom uso da ajuda que o governo te proporciona significa um auxílio a mais, na hora de fechar as contas mensais.