Gestão Estratégica: Como pode ajudar sua empresa?

A gestão estratégica é o conjunto de práticas e metas traçadas pelos gestores para a administração da empresa com planos que passam por toda a estrutura organizacional.

Além disso os gestores definem: estratégias a serem utilizadas, principais objetivos, período e recursos alocados.

 Conceitos da gestão estratégica

A gestão deve alcançar todos os setores da empresa. De forma que todos os setores possam ser vistos e avaliados pelos líderes estratégicos. O objetivo é gerenciar as ações definidas anteriormente pelo planejamento estratégico.



Durante o processo de gestão estratégica, são identificados o posicionamento da empresa em relação aos seus concorrentes e oportunidades e ameaças, sejam internas ou externas (Análise Swot).

O mundo dos negócios está cada vez mais dinâmico e competitivo, portanto, a capacidade de tomar decisões precisas e assertivas a fim de que os resultados sejam maximizados é extremamente importante, já que a cada dia que passa surgem novos players e novas estratégias que fazem a competição ficar cada vez mais difícil.

Para uma gestão estratégica coesa e eficiente, o líder deve ser capaz de utilizar os recursos disponíveis de forma flexível e tática para reduzir os riscos inerentes ao mercado inserido e reduzir as dúvidas e o medo relacionados ao pensamento sistêmico.

Qual é a importância da gestão estratégica?

Em tempos de grande competitividade no mercado, é indispensável que os gestores estejam cientes do que acontece ao redor do mundo para que tomem decisões racionais e o mais assertivas possíveis.



A gestão otimiza e automatiza processos gerando economia de tempo e recursos.

 Como deve ser feita a gestão estratégica?

A gestão estratégica deve ser fundamenta sobre 4 pilares:

  • Estratégia financeira:

É adotada quando a empresa não possui perspectivas, muitas dificuldades e ameaças externas batendo à porta frequentemente. Neste caso, as ações podem incluir redução de custos, diminuição capital investido e venda de ativos.

  • Estratégia de evolução:

Quando problemas no setor interno fazem com que a demanda não consiga ser atendida. Neste caso, as ações podem incluir criação de novas linhas de produtos, fusões, criação de holdings ou expansão.

  • Estratégia de preservação:

É adotada quando ameaças externas são descobertas, mas a empresa possui proteção como bom planejamento financeiro e tecnologia.

  • Estratégia de desenvolvimento:

É adotada quando oportunidades externas são visíveis. Este conceito se baseia em localizar oportunidades internas ou externas, como boas empresas por múltiplos abaixo do valor de mercado.

O gerenciamento empresarial segue um fluxo, a fim de que, seu plano estratégico seja definido, projetado, posto em prática e monitorado.



Profissionais de finanças são altamente requisitados para o processo da gestão estratégica, porque eles possuem os dados financeiros necessários para que os planos da empresa possam ser desenvolvidos e atendam aos objetivos estratégicos sem afetar o orçamento empresarial.

Gestão de capital humano

No mercado empresarial moderno ocorreram diversas mudanças ao longo dos anos em relação ao capital humano e suas atribuições.

Saímos de uma visão onde os trabalhadores eram vistos apenas como peças de uma grande máquina e trocados quando fosse necessário para uma visão totalmente diferente, pessoas sendo valorizadas e com condições competitivas nas organizações.

Esse novo modelo é fruto de muitos anos de pressões e revoltas por melhores condições de trabalho, qualidade de vida e valorização dos trabalhadores. E uma revolta organizacional que busca valorizar seu capital intelectual como um ativo da empresa.



A gestão estratégica do ponto de vista organizacional para gerir pessoas é uma forma essencial para alcançar objetivos e manter a motivação do time além de gerar um fortalecimento da cultura interna e garantir a retenção de talentos.

Deste modo, não existe gestão estratégica sem a gestão de capital humano. Esta é uma tarefa de toda a organização, mas especialmente dos líderes.

De forma que, estes trabalharão para o desenvolvimento de um ambiente de trabalho saudável e que, se bem feito, trará benefícios tanto para a gestão como para os colaboradores.

O papel do líder na gestão estratégica é fundamental pois é através dele que toda a equipe se mantém motivada e disposta a continuar em busca dos objetivos da empresa. Todos se inspiram e motivam, agindo cooperativamente.

Gestão informacional

As transformações tecnológicas que ocorreram e continuarão ocorrendo ao longo dos anos criaram um ambiente que facilitou a troca de informações entre as pessoas e as empresas, consequentemente facilitando também o processo de tomada de decisão. Antigamente o processo de tomada de decisão era no “olhômetro”, o feeling do gestor falava mais alto. Hoje, quem tem mais informações em seu poder tem o controle do jogo.



A capacidade de ter uma visão analítica em relação ao ambiente que se está inserido tanto quanto ao exterior, associado à economia mundial, já deixou de ser opção há muito tempo. É uma obrigação! Antecipar-se em relação à concorrência, eventos e tendências é um meio de manter a competitividade.

Implantação e acompanhamento

A implantação e acompanhamento da gestão estratégica pode não ser algo tão fácil assim. Porém existem algumas ferramentas que podem ajudar nesta fase, como o Balanced Scorecard (BSC).



Ele te permitirá visualizar e analisar todos os dados e métricas do planejamento estratégico inseridas na gestão, agrupadas por objetivos com ordem de causa e efeito.

O BSC permite ser associado a outras ferramentas como SWOT, 5W2H e o orçamento da empresa. O BSC é a ponte entre a gestão estratégica e as ações de curto, médio e longo prazo da empresa.

A gestão estratégica nunca ocorre de forma isolada, ela é um processo que começa com objetivos a serem alcançados e que devem ser transformados em ações individuais a serem implementadas.

A estratégia, independente de qual for, necessita de acompanhamento constante através de KPI’s. O acompanhamento é fundamental para que ocorra um direcionamento correto para a tomada de decisões assertivas.



Visão estratégica

A visão estratégica, é fundamental para o sucesso no curto, médio e longo prazo pois permite que a empresa agregue valor a si própria, seus produtos e seu mercado neste período.

Quais os prejuízos de negligenciá-la?

As empresas que optarem por negligenciar a visão e a gestão estratégica, certamente terão prejuízo. Também é muito comum, que algumas dessas empresas tenham um desenvolvimento muito lento ou não se desenvolvam por não saberem quais são seus valores, metas e objetivos. “Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”, essa frase nunca foi tão verdadeira como agora.

Concluindo

A gestão estratégica não fala apenas do gerenciamento de recursos de uma organização, mas também uma gestão de capital humano e informacional.



Para alcançar objetivos e metas, sejam eles internos ou externos é necessário que toda a equipe esteja envolvida e comprometida com a empresa.

Estes tipos de gestão representam uma maneira de gerir toda a empresa de forma que todos estejam focados em ações estratégicas com sua devida prioridade passando por toda a estrutura organizacional.

A gestão estratégica deve estar sempre alinhada ao planejamento estratégico. Porque a primeira fala sobre a implementação, análise e monitoramento das ações com base na missão, objetivos e visão definidos no planejamento.



A gestão de capital humano fala da valorização do colaborador para que ele se sinta em um ambiente confortável e dê o seu melhor para o desenvolvimento da organização.

A gestão informacional fala sobre a necessidade de um poder analítico das informações mundiais e que fortalecerá o processo de tomada de decisão e gestão estratégica.