Fim do Auxílio Emergencial e Alta dos Alimentos: O Que Esperar

Fim do Auxílio Emergencial e Alta dos Alimentos: O Que Esperar

Estamos chegando no mês de outubro e muita gente já está preocupado com a perigosa combinação do fim do auxílio emergencial, que só vai até dezembro, e essa alta no preço dos alimentos.

As pessoas já estão deixando de comprar vários itens da cesta básica mensal porque o valor aumentou muito. Leite e derivados são alguns desses itens que subiram de forma considerável nos últimos tempos. E a carne já virou artigo de artigo de luxo para muitas famílias. E o pior, sem previsão de mudança.



De acordo com alguns economistas, infelizmente a situação não é muito animadora para o futuro. A previsão deles é a de que ainda passaremos mais alguns meses nessa situação, onde a alta do dólar e a inflação tem elevado o valor da cesta básica de alimentos.

O auxílio emergencial vem fazendo a diferença durante esses meses de crise e grande parte dos beneficiários usa o benefício para comprar comida. A respeito disso, uma pesquisa do Datafolha identificou que a compra de alimentos é o principal destino do benefício para 53% dos entrevistados.

Com a alta dos preços, o que tem acontecido é que as pessoas estão comprando menos comida ou reduzindo o valor nutricional dos alimentos para fazer a conta fechar. 

As famílias estão mudando o seu consumo alimentar, tendo que fazer substituições por alimentos ultra processados, para continuarem tendo o que colocar no prato todos os dias.



O Fim do Auxílio Emergencial e o Risco do Brasil voltar para o Mapa da Fome da ONU 

o fim dos auxílio emergencial

Agora, se com o benefício já está assim, o que vai acontecer quando chegar o fim do auxílio emergencial?

Estudiosos já começam a falar do risco de o Brasil voltar para o Mapa da Fome da ONU, situação que tínhamos conseguido finalmente sair em 2014. 

Esse Mapa da Fome reúne os países onde 5% ou mais da população vive em situação de extrema pobreza, contando com menos de $ 1,90 por dia. É lamentável estarmos nessa situação, ainda sem perspectivas de melhoria.



Vamos aguardar o pacote de medidas que o Governo Federal prometeu apresentar essa semana, na expectativa delas trazerem esperança de dias melhores. Entre os anúncios mais esperados para os próximos dias, estão:

1) A proposta do governo para reduzir os encargos da folha de pagamento, o que segundo estimativas da equipe econômica deverá ampliar a oferta de trabalho.

2) O anúncio do novo programa social que ficará no lugar do Bolsa Família e ajudará a compensar o fim do auxílio emergencial junto à população mais vulnerável.



Deixe uma resposta