Como emitir GPS? Veja o passo a passo!

Como emitir GPS? Veja o passo a passo!

  • Post category:INSS

Saber com emitir GPS é fundamental para quem é contribuinte individual ou facultativo e não quer depender de terceiros para a emissão da guia mensal. Trouxemos neste post um passo a passo ilustrado ensinado como emitir GPS. Continue lendo e confira!

A GPS (Guia da Previdência Social) é um documento de cobrança por meio do qual o contribuinte facultativo, individual, ou o empregador de trabalhadores formais efetuam as contribuições ao Instituo Nacional de Seguro Social.

O valor da GPS depende de diversos fatores, como a remuneração mensal, pró-labore e o plano de contribuição escolhido (nos casos dos facultativos). Ao efetuar o pagamento, o valor da guia é destinado à Previdência Social e permite que o segurado tenha direito aos benefícios previdenciários, como salário maternidade e auxílio doença, por exemplo!

 

Como Emitir GPS?

Para saber como emitir GPS, basta seguir o passo a passo abaixo:

PUBLICIDADE
  • Acesse o site da Receita Federal e vá até a seção de emissão de GPS ou clique aqui para ser redirecionado à página;
  • Clique em “Emissão de GPS para Contribuintes Individuais e para Empresas e Órgãos Públicos”, como indicado abaixo:

como emitir gps

  • Você será redirecionado ao SAL (Sistema de Acréscimos Legais). Defina se você é contribuinte filiado antes ou depois de 29/11/1999;

como emitir gps

  • Escolha a categoria e então informe o seu NIT/PIS/PASEP;
  • Digite o código de segurança da imagem e clique em “Confirmar”;
  • Em seguida, uma Guia da Previdência Social será exibida. Você deverá preencher com os seguintes dados:
    • Código de pagamento conforme esta tabela da Receita;
    • Data em formato MM/AAAA e o salário;
    • Identificador, como CNPJ, CEI, NIT, PIS ou PASEP;
    • Valor a ser recolhido pelo INSS, já considerando os valores de eventuais compensações e deduções;
    • Se aplicável, consulte as orientações da Receita Federal para outros campos;
    • Informe o valor total;
  • Ao finalizar, clique em “Gerar GPS”.

Pronto! O documento de cobrança será gerado.

Agora que você sabe como emitir GPS, deve considerar que pode efetuar o pagamento em casas lotéricas, agências bancárias, correspondentes bancários ou até mesmo por Internet Banking.

 

Como Funciona o SAL?

O Sistema de Acréscimos Legais é uma ferramenta disponibilizada pela própria Receita Federal. Além de saber como emitir GPS, por meio dele é possível emitir DARF de tributos e eventuais multas devidos à União.

De acordo com a RFB:

PUBLICIDADE

“O Sistema de Acréscimos Legais – SAL tem por objetivo o cálculo das contribuições previdenciárias devidas, estejam elas em atraso ou não, de empresas e equiparadas, órgãos públicos, contribuintes individuais, segurados especiais, empregado doméstico e facultativo. Confere, ainda, acréscimos legais pagos em data pretérita, atualiza diferenças de valores devidos pagos a menor, calcula competências sujeitas ao período básico de cálculo – PBC e de recolhimento anual de empregador rural, atualiza valores para restituição e reembolso e facilita consulta a tabelas financeiras e de salários-de-contribuição.”

Vale lembrar que “acréscimos legais” é a denominação para juros e multas oriundos de contribuições previdenciárias e tributos de diversas naturezas. Contudo, é também por meio do SAL que se calcula a GPS.

 

Tipos de Contribuição do INSS

Quem é trabalhador formal (ou seja, atua com carteira assinada), não precisa se preocupar em como emitir GPS. Isso porque o desconto é feito automaticamente e quem efetua os pagamentos é o empregador.

Já quem é contribuinte facultativo ou autônomo, além de saber como emitir GPS, tem que conhecer os tipos de contribuição e escolher a que melhor se enquadra em seu perfil e em suas necessidades.

PUBLICIDADE

Atualmente o INSS dispõe do plano facultativo e individual. Conheça as diferenças:

Modalidade Para quem é indicado? Valor do recolhimento
Individual Exerce atividade remunerada Sobre o que recebe pelo seu trabalho (deve levar em consideração o salário mínimo e o teto do INSS).
Facultativo Não exerce atividade remunerada e não é filiado a um regime de próprio de previdência social. Sobre aquilo que quiser (deve levar em consideração o salário mínimo e o teto do INSS)

 

Deixe uma resposta