Dividendos e Investimentos: Conheça as Principais Opções

Dividendos e Investimentos: Conheça as Principais Opções

Embora aplicar dinheiro e gerar dividendos seja uma questão de muito interesse por grande parcela da população, nem sempre é nítida a melhor forma de fazê-lo.

Ao contrário do que muitos acreditam, independentemente do valor a ser aplicado, qualquer pessoa pode se tornar um investidor.

No entanto, os tipos de aplicação financeira são variados e é preciso conhecer cada um deles para identificar qual gera mais dividendos e se enquadra melhor no seu perfil.

Nos tópicos abaixo abordamos os principais tipos de investimentos e que te ajudarão a aumentar seu patrimônio.



Dividendos na Bolsa de Valores

Ao falar em dividendos, é impossível não lembrar da bolsa de valores. No Brasil, é a B3 onde é possível negociar ações e obter dividendos em empresas de capital aberto, como especificamos neste artigo.

É neste ambiente em que há a intersecção entre empresas e investidores. Qualquer um poderá comprar e vender ações, commodities, títulos de renda fixa e títulos públicos federais.

Para entender qual o melhor tipo de investimento para você, primeiro, é preciso definir a duração do investimento.



Rentabilidade a Curto Prazo

  • Day trade: nesta modalidade é possível faturar um grande montante em apenas um dia. No entanto, é necessária muita estratégia. Por isso, é mais aconselhável a quem já opera na bolsa de valores há algum tempo e possui estratégia, pois os riscos também são altos.

O daytrading consiste em compra e venda de ativos em que o objetivo é ganhar mais dividendos pela oscilação do valor das ações.

  • Curto prazo: Este é o tipo de investimento com boa rentabilidade e liquidez. Sua duração pode ser de 1 dia a 2 semanas, em média.

Aqui, o nível de acerto é grande e a rentabilidade boa em relação ao tempo. Outra vantagem é que, se inesperadamente o cenário mude, o prejuízo não é muito grande.

Uma técnica muito conhecida e aderida é a de comprar ações em momento de desvalorização da empresa, pela chamada Operação de Compra de Contra-Tendência.



Rentabilidade a Longo Prazo

Esta é a melhor opção para investidor que não detém de muito tempo para se dedicar ao mercado de investimentos e que possuem um perfil mais conservador em relação às aplicações.

Assim como na modalidade de investimento a curto prazo, aqui também é possível que haja oscilações entre as ações. Por isso, é recomendado que o investidor opte por empresas consolidadas e com histórico positivo no mercado de investimento.

Como forma de atrair e manter os investidores, determinadas empresas possuem uma espécie de recompensa para quem confia o dinheiro a longo prazo: os dividendos, que nada mais são que uma porcentagem de seus lucros que é direcionada ao investidor.



Tesouro Direto

Nesta modalidade de investimento, ao comprar títulos públicos, o investidor está emprestando dinheiro ao Governo Federal para cumprimento de obras, liquidação de dívidas etc. Ao final do prazo estipulado, o investidor recebe o montante acrescido dos devidos juros.

Esta é uma forma muito eficiente e democrática de investir, por possuir títulos a partir de R$30,00 reais.

O Tesouro possui três tipos de títulos:

Prefixados

Neste tipo de investimento, a rentabilidade é definida no ato do investimento, portanto, ele tem ciência do valor a receber e dos juros.

Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais são os tipos de títulos prefixados.

Para quem está aplicando com a finalidade de utilizar todo o montante recebido de uma vez, para algum fim específico, recomenda-se os títulos prefixados. Mas, para quem deseja complementar a renda, recomenda-se os títulos prefixados com juros semestrais.



Pós-fixados

Mais conhecido como Tesouro Selic, o montante a ser recebido é corrigido pela taxa Selic. Conforme esta taxa aumentar, assim será seu retorno. Um benefício desta modalidade é que o resgate do valor pode ser feito a qualquer momento, e então o valor a ser recebido será calculado proporcionalmente ao tempo de investimento.

Híbrido

Nesta modalidade, tem-se a taxa de juros prefixada juntamente com a variação da inflação (IPCA). Assim como os títulos prefixados, é aconselhada adesão ao Tesouro IPCA caso o uso seja imediato após o resgate, ou ao Tesouro IPCA com Juros Semestrais para receber os juros semestralmente.



Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Esta é uma forma de emprestar dinheiro aos bancos. Ao captar dinheiro de investidores, os bancos utilizam o valor arrecadado para bancar ações internas na instituição e, consequentemente, geram os dividendos.

Assim como no Tesouro, existem três tipos de aplicações: as Prefixadas, Pós-fixadas e as Híbridas.

Todas seguem o mesmo conceito do Tesouro e as recomendações são as mesmas. A diferença é que, neste cenário, em vez de emprestar seu dinheiro ao governo, ele é destinado aos bancos.

Esta forma de aplicação é protegida pelo Fundo Garantidor de Crédito.



Deixe uma resposta