Renda Cidadã: Governo lança o programa que substituirá o Bolsa Família

Renda Cidadã: Governo lança o programa que substituirá o Bolsa Família

Acabou o mistério! Finalmente foi lançado o Renda Cidadã, o novo projeto social do governo que ficará no lugar do Bolsa Família.

Após uma reunião que envolveu o Presidente Bolsonaro, seus ministros, os líderes partidários e o Senador Márcio Bittar, que é o relator da PEC que está criando o Renda Cidadã, a decisão foi tomada. E, em conjunto, foi anunciado o novo Programa.

Vamos ouvir as palavras do Presidente Bolsonaro, seguido pelo Senador Márcio Bittar:



Renda Cidadã: Como Será Financiado

Como explicou o Senador Bittar, o programa será criado unindo os recursos já previstos no orçamento de 2021 para o Bolsa Família somados aos recursos dos precatórios e do Fundeb.

Sendo assim, o orçamento do Renda Cidadã de 2021 deverá reunir:

1) quase R$ 35 bilhões que estavam destinados para o Bolsa Família no orçamento do ano que vem;

2) a diferença dos R$ 55 bilhões reservados no orçamento para pagamento dos precatórios que ultrapassarem 2% da receita corrente líquida da União,

3) e 5% do valor extra pago pela União para o Fundeb.



Renda Cidadã: Qual o valor do benefício

No anúncio, o valor do benefício não foi mencionado, mas a imprensa vem indicando que deve ficar entre R$ 200,00 e R$ 300,00.

Tudo isso fará parte da PEC Emergencial, que ainda será apresentada e votada tanto na Câmara, quanto no Senado.

E a Reforma Tributária?

Nessa mesma reunião, deveria ter sido apresentada a proposta do governo para a reforma tributária, mas o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, disse que os líderes ainda não conseguiram chegar em um consenso nesse sentido.



Vamos ouvir o Deputado Ricardo Barros:

O Senador Fernando Bezerra, líder do governo no Senado, também falou sobre o assunto. Veja o que ele disse:



Finalmente, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, se pronunciou, reforçando que o governo não pretende aumentar a carga tributária, e sim substituir impostos.

Vamos ouvir o Ministro Paulo Guedes:



Deixe uma resposta